segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Mesa Radiônica a Magia do Novo Milênio

Mesa Radiônica Quântica


Mesa Radiônica
A Mesa Radiônica é uma prancha que reúne num só instrumento símbolos das energias do Homem, da Terra (Gaia) e do Cosmos (Divino). Em conexão com o Supra- consciente ou Eu superior , ativamos através de um portal interdimensional comandos que, baseados no amor incondicional e na total confiança, se materializam na nossa realidade, tendo como limite de atuação a nossa mente.
A lógica do funcionamento desse instrumento é explicada através da Física Quântica. Tem atuação no campo físico, mental, emocional e espiritual, e faz mudanças rapidamente usando técnicas de: limpezas energéticas, materialização de objetivos , desmaterializaçãode energias negativas , timoterapia, alegria de viver, conhecimento, ganho de consciência, salto quântico(passado e futuro), cromoterapia, chama trina, acesso e uso de egregóras, consciente coletivo, programação de talismãs, cristais e objetos. Envio de remédios, orações, florais, e vibrações de equilíbrio à distância, e também a invocação de virtudes Divinas através dos 12 raios sutis.
Para explicar melhor a mesa radiõnica seria o caldeirão do mago  e o pêndulo que é usado para medir as frequências e enviar a energia à distância seria a varinha mágica que quando manipulada pela mente do operador tranforma a realidade dos envolvidos no trabalho e os ingredientes usados no "feitiço"seriam as orações,os remédios enviados.
                                                                                        


O que pode ser trabalhado na mesa radiônica?

 Qualquer assunto pode ser tratado pela mesa radiônica: afetivos, saúde, financeiros, profissionais, negócios, energias espirituais nocivas, desequilíbrios energéticos, limpeza de espaços, corte de laços kármicos, traumas, reprogramação de padrões negativos do DNA, elevação do padrão vibratório e do nível de energia vital. não tem existe limite de espaço ou tempo, o que permite limpar karmas de vidas passadas, heranças familiares, traumas e bloqueios da vida atual.Trabalha na harmonização de relacionamentos ,modifica-se padrões negativos nas finanças, vida profissional, saúde.Ou seja  qualquer situação pode ser trabalhada pois nossa mente tem poder infinito.

O trabalho pode ser feito à distância?
 Sim .Pois para se trabalhar com a mesa só precisamos de um testemunho  ou seja do nome da pessoa ,local e datas de nascimento e o que se quer trabalhar.

Os atendimentos são feitos pelo msn,skype.Basta  enviar um email para a terapeuta Mari Reis:marinalva_reis@hotmail.com .
Estou a sua inteira disposição.Espero seu contato .
                                                      Namastê
                                                   Abraços de luz; Mari Reis

domingo, 21 de outubro de 2012

Mal de Alzheimer segundo a visão Holística


O mal de Alzheimer é uma doença que leva o nome do
neurologista alemão Alois Alzheimer, que viveu no século XIX.
Manifesta-se por volta dos cinqüenta anos de idade como uma
demência caracterizada por uma deterioração profunda e maciça da
inteligência, associada a uma desorientação temporal e espacial. Daniel
G. Amem, neurologista e psiquiatra americano autor do livro
Transforme seu cérebro, transforme sua vida, concluiu através de seus
estudos de radiografia do cérebro que esses pacientes têm perfusão
(passagem de líquido - inclusive sangue - através de um órgão)
diminuída nos lobos temporais e uma atividade diminuída nos lobos
parietais, algumas vezes encontradas nesses cérebros, de três a seis
anos antes do surgimento dos sintomas. Também garante que pode ser
difícil distinguir se trata-se do mal de Alzheimer ou de uma depressão,
pois os sintomas são muito semelhantes.
Pela medicina convencional essa doença ainda é considerada
incurável, embora existam remédios específicos que conseguem
estabilizar, por algum tempo, o funcionamento das partes afetadas do
cérebro.
A medicina chinesa e os estudos psicológicos de correlação das
doenças com os padrões mentais do ser humano mostram que o mal de
Alzheimer ocorre com pessoas que teimaram a vida inteira em não
aceitar a vida como ela é. Na verdade sempre procuraram controlar os
acontecimentos ou os pensamentos dos outros à sua maneira, mas,
quando contrariados, acabaram gerando para si mesmas frustração e
raiva. Todos sabemos o quanto é difícil alguém se contrapor ao livrearbítrio
de uma pessoa, seja através de crítica seja de sugestões.
Por isso, a única saída para aqueles que resistem em mudar seu
modo de ver a vida é começar a esquecê-la, o que vai revelar o outro
extremo de seu ego controlador e indefeso. Essas pessoas perdem,
inconscientemente, a esperança de transformar o ambiente em que
vivem e partem para um estado de demência a fim de relaxar.
Aos familiares e amigos de idosos com esse mal aconselho
conversarem com eles normalmente, mostrando-lhes novas maneiras de
perceber os acontecimentos. Procurem contar-lhes casos engraçados e
suaves para estimular seu bom humor. Devem falar-lhes sobre o perdão
e a alegria de viver, pois eles precisam aprender a libertar para alcançar
a sua própria liberdade. Entenda que enquanto a consciência foge dos
processos da vida pelos estranhos caminhos da amnésia, da demência,
das drogas ou do sono, o inconsciente do ser humano permanece
intacto e ativo em seu ritmo instintivo de emoções e de necessidades
fisiológicas e biológicas.
Procure entendê-lo tratando-o com amor e paciência, mesmo que
ele se mostre violento e esquecido, pois esse comportamento é típico de
sua obstinada resistência em não querer ajuda. Ele sabe,
inconscientemente, que essa ajuda, certamente, vai curá-lo, o que o
obrigaria a ter de dar o braço a torcer contra a sua vontade.
Querido leitor, para combater esse orgulho cego só existe um
caminho: ame-o sinceramente e compreenda que o mal de Alzheimer foi
a única forma encontrada para a sua sobrevivência, uma vez que suas
crenças errôneas estão profundamente enraizadas em sua mente.
Converse com seu subconsciente como se estivesse conversando com
uma pessoa normal, o que, na realidade, ele é, apenas carrega medos
maiores que sua vontade.
Portanto, ignore as aparências e ame a sua essência. Se todos os
familiares tratarem-no com muito amor, não como a um doente, mas
como a uma pessoa saudável, ele perceberá em sua própria alma que
vale a pena lembrar de seus entes queridos.
Cuidado com o que você pensa a respeito dele, pois o
inconsciente coletivo tem muito mais força de transmissão do que o
verbo. Não duvide daquilo que ainda você não tem total conhecimento,
as coisas não são exatamente como vemos com os olhos físicos. Seu
pensamento é uma arma poderosa, portanto, para ajudar alguém só
será possível fazê-lo através do amor verdadeiro em seus pensamentos,
suas palavras e suas atitudes. Faça-o captar o seu amor por todos os
poros e aprenda que idade não impede ninguém de progredir e construir
sonhos para o futuro. O futuro pode ser tão longo quanto se acreditar.
E oportuno destacar que o índice populacional de idosos ativos com
mais de cem anos de idade cresce a cada ano em todo o mundo,
principalmente em países orientais. Você que tem um familiar, amigo ou
conhecido portador do mal de Alzheimer, precisa acreditar, de coração,
que vale a pena colaborar para que ele se recupere e transforme sua
vida para melhor.
O perdão, o desapego e o amor sem imposições são as
ferramentas ideais para se reconstruir uma vida. Assim, permita que
seu consciente experimente a liberdade de soltar sem medo e sem
culpas seus familiares e você verá o quanto seu comportamento anterior
limitava o desenvolvimento das pessoas ao seu redor e a sua própria
liberdade para evoluir.
Linguagem Corporal

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Vamos Filtrar Nossos Sonhos?

Dreamcatcher - Filtro dos Sonhos





O dreamcatcher, também conhecido como filtro ou teia do sonho, são mandalas de cura de origem nativa norte-americana. O Tempo dos Sonhos é influenciado por boas e más energias. A função do filtro dos sonhos é a de afastar as energias intrusas e incorretas que, presas na teia, se dissipam com os primeiros raios do sol.

O aro do filtro é a roda da vida, e a teia que tecemos são nossos sonhos, não somente os sonhos que temos quando em contato com o Tempo do Sonho, mas também os sonhos de nossa alma, e o mundo de energia em movimento com o qual lidamos no nosso dia-a-dia. O centro da teia, é o vazio, o Espírito Criador, o Grande Mistério. Enfim, explicações têm muitas, mas devemos sempre lembrar que estes "objetos" não são simples objetos decorativos, eles são instrumentos de poder, são medicinas. Existem inclusive, vários tipos de teia. Os Chippewa utilizam uma teia muito similar à da aranha, em espiral, sendo que a sustentação desta teia em espiral está em 8 fios que correspondem às oito direções sagradas. Já os cherokees, trabalham com um filtro mais simples, onde há apenas uma pedra, geralmente no centro da teia, e uma única pena pendendo sob ele, pois acreditam que o filtro não pode ser muito "carregado" de objetos e penduricalhos para não desvirtuar sua função. Há ainda tradições que trabalham com o filtro na posição horizontal. Mas, enfim, cada tradição tem seu modo de confeccionar esta medicina. O interessante é que esta medicina surgiu em várias tribos que não mantinham contato direto umas com as outras, e vamos encontrar uma série de lendas a respeito disto.

Estas medicinas podem ser carregadas com um propósito, que ativamos ao construir o filtro, que é quando colocamos nosso espírito e nossa energia transformando-o em um instrumento de poder.

Além de todo o aspecto de instrumento de poder, o filtro é uma terapia incrível, pois ao fixarmos nossa atenção na medicina que estamos construindo, ela mexe com nossa energia, altera nossa consciência e também nos limpa, equilibra e nos faz recordar de Sonhos e propósitos esquecidos. Enfim, instrumentos de poder mexem com nosso interior, com nossa energia, e são canalizadores. Mas lembremos também que nunca devemos nos tornar instrumentos dos intrumentos, escravos de instrumentos, ou seja, não é o objeto que vai resolver uma série de coisas, ele apenas será veículo para nos por em contato com uma energia ancestral e com nosso intento. Também não nos livraremos de pesadelos, pois eles são aprendizado. O que o filtro basicamente faz é filtrar energias instrusas que podem interferir em nosso processo natural e pessoal do Sonhar e viajar pelo Tempo do Sonho, que é de onde vem grande parte do conhecimento de cada um de nós.

terça-feira, 28 de agosto de 2012

Testemunho de eficácia da Mesa Radiônica

Namastê caros leitores;
Há um ano   começei a estudar a mesa radiônica para trabalhar as questões que tanto afligem os seres humanos e desde então tenho feito atendimentos em diversar aréas dentre elas a limpeza de pessoas e  hambientes ,harmonização mental ,emocional ,espiritual e os resuldados tem sido surpreendentes, no fim de Julho desse ano uma cliente chamada Denize me procurou  para fazer um atendimento ,ela se queixava de algumas coisas e queria que eu fizesse a mesa para ver se dava algum resultado ,uma das queixas que a Denize fez foi  sobre uns vizinhos que são usuários de drogas e como eles viviam no mesmo prédio da dela e davam festas ,bebiam muito a incomodavam com os gritos ,com as brigas constantes ,então sugeri que fosse feita uma limpeza e harmonização geral no prédio com mesa radiônica outra coisa que minha cliente pediu foi sobre um problema que a incomodava muito, o ronco ,pediu que parasse de roncar ,bom fizemos a mesa no dia 30/08/12 e deixamos que as coisas acontecessem ou seja que o melhor acontecesse a todos envolvidos  que tudo fosse para o bem maior de todos.Então deixei a mesa montada com o nome da Denize e os pedidos ,depois de uma semana para minha surpresa a Denize me enviou uma mensagem dizendo que a vizinha tinha se mudado por que brigou com o marido e se separaram,fiquei de boca aberta com essa notícia ,depois de algumas semanas ela me dá outra notícia de que tinha feito uma polissonografia e que precisava urgentemente de usar um aparelho para apnéia do sono ,ela achava que apenas roncava e que não fosse nada grave mas o exame acusou uma apnéia severa .Bom.. esse é um testemunho verdadeiro de que a mesa radiônica e de que realmente  funciona e quando desejamos uma coisa o universo conspira a nosso favor ,devemos vigiar nosso pensamentos pois o que pensamos pode se tonar realidade.
                                                                                                         Mari Reis

quarta-feira, 11 de julho de 2012

Alma Flamejante✿*•.¸¸.•*✿⊱✿⊱╮ ✿*•.¸¸.•*✿⊱✿⊱╮✿*•.¸¸.•*✿⊱✿⊱╮

Alma Flamejante✿*•.¸¸.•*✿⊱✿⊱╮
✿*•.¸¸.•*✿⊱✿⊱╮✿*•.¸¸.•*✿⊱✿⊱╮
Alma Flamejante, porque não compreendes, o limiar de tua caminhada?

Abre-te para a essência divina,

Estejas sempre atenta aos passos que dás, pois, deles dependerão os resultados da tua história, vivestes muitas vidas, em muitas jornadas, onde vens lapidando, essa eterna alma em busca da evolução interior.

Conhece-tes profundamente, então mergulha infinitamente dentro de teu ser

Lembra-te de tuas eternas viagens, nos desertos de tua vida, onde o aprendizado é primordial.

Sorva o conhecimento sublime, escrito nos registros akásicos, gravado a fogo no livro da tua vida, assim entenderás, os momentos vividos, e com maestria, navegarás, suavemente em águas silenciosas, sentindo a quilha avançar, nos mares de teu ser.

E agora sinta a alegria brotar de teu rosto, e a felicidade emergir de teu coração, inundar tu a alma, e compartilhar com teus irmãos na LUZ!

Tens, a força interior, a centelha divina, o amor divino, puro e incondicional, pois agora,

Alma Flamejante,
És . . . Detentora da LUZ!✿*•.¸¸.•*✿⊱✿⊱╮
✿*•.¸¸.•*✿⊱✿⊱╮✿*•.¸¸.•*✿⊱✿⊱╮

(Ivanildo Assis. -Tela de Ilusões)

quarta-feira, 25 de abril de 2012

Causa emocional do tabagismo

Os aspectos metafísicos que envolvem os problemas pulmonares estão relacionados à dificuldade de absorção da vida. A pessoa não se assume nem se posiciona frente às circunstâncias externas.Tudo que foge ao estabelecido ou à dinâmica normal da convivência deixa-a apavorada. Ela não tem habilidade de lidar com o inesperado, procura se esquivar dos obstáculos. Sente-se frágil e desprotegida, e por isso tem medo de acolher o que vem de fora e resiste às mudanças. Essa mesma condição interna leva a pessoa a adotar o tabagismo, tornando-se viciada em cigarro. Sendo ele apresentado como o principal agente físico desencadeador do enfisema pulmonar, convém compreender melhor os padrões interiores que mantêm esse vício. A principal causa emocional do tabagismo é o medo ou negação da vida. O fumante encontra, na sutileza da fumaça expelida pelo cigarro, uma leve sugestão de proteção. Ê como se houvesse um escudo separando a pessoa dos episódios desagradáveis e de certas presenças ameaçadoras. A fumaça do cigarro suavemente distorce a forte expressão fisionômica dos outros. O fumo é responsável pelo aumento da suscetibilidade a qualquer doença infecciosa das paredes pulmonares Na concepção metafísica, os processos infecciosos estão relacionados as interferências externas no mundo interno. Assim sendo, o fumante sente-se indefeso e, por isso, se abala facilmente com os episódios desagradáveis da vida. Ele não consegue manter sua integridade emocional, conseqüentemente torna-se vulnerável às afecções pulmonares, em especial o enfisema. O vício de fumar não é mantido apenas pela dependência orgânica da nicotina, mas principalmente pela condição interna de negação e medo da vida. Uma vez resolvidos esses fatores emocionais que mantêm a pessoa dependente do cigarro, será fácil para ela parar de fumar.Existem algumas pessoas que usam o cigarro apenas como fonte de prazer. Nesses casos, o organismo encontra maneiras de reparar a agressão provocada pelo tabagismo. É o que acontece com alguns fumantes que não apresentam nenhuma doença provocada pelo cigarro. Isso é possível devido à capacidade regenerativa do organismo, que é estimulada pelas energias produzidas pelo prazer. Tudo que nos proporciona satisfação aumenta o sabor pela vida. Quem estiver bem resolvido interiormente e se utiliza do cigarro o faz moderadamente. Caso venha a perceber que seu hábito está comprometendo sua saúde, a pessoa consegue parar de fumar com facilidade. Raramente encontramos um fumante nessas condições, porque alguém que vive bem e se sente integrado à vida dificilmente mantém hábitos que possam causar prejuízos à sua saúde. A maioria dos fumantes apresenta fragilidade interior. O vício O vício não é o aspecto causai, mas sim o efeito de uma condição interna abalada. Por isso, mais importante do que combatê-lo é trabalhar as causas. Fortalecer o indivíduo, desenvolver a segurança, prepará-lo para os desafios da vida. Desse modo, estaremos dando condições para que a pessoa se encoraje para viver, abra-se para a realidade e sinta-se disposta a encarar a verdade sem distorcer os fatos.Essa atitude tanto é saudável para os pulmões, afetados pelo enfisema, quanto para preparar o indivíduo a não depender do cigarro para viver.

terça-feira, 3 de abril de 2012

Medo dos outros

                                     
                                Medo dos outros
O medo é um dos instintos mais primitivos que a humanidade conhece mas até que ponto sentir medo é bom?Se eu estou num prédio no 25º  andar é normal sentir medo, e não me debruçar na janela por que posso cair, agora até que ponto sentir medo é normal?Quem não assume sua sexualidade é porquê tem medo de ser rejeitado ,criticado aì a pessoa pra não ser rejeitada se afasta,se isola em seu mundo e acaba afastando as pessoas de sua vida . Quem não é sincero com as pessoas tem medo do outros,só quem prejudica, quem é falso com os outros é quem tem medo,por que a sociedade não foi feita pela verdade,quem faz coisa erradas o que não é encaixado na sociedade,quem faz tipo de bonzinho  tem medo pois antes de sair para o tabalho veste sua mascara de bonzinho de o sujeito normal para ser aceito na sociedade por que pra sociedade tudo o que é diferente não é normal ,quem se sente perseguido é porquê aprontou muito com os outros ,quem deve teme ou aprontou muito na vida ,geralmente as origens do medo dos outros vem de experiências passadas de traumas que não foram resolvidos, essas experiências passadas estruturam nosso comportamento para garantir a sobrevivência. Quem não consegue estabelecer relacionamentos com ninguém, porque sente medo da rejeição, na verdade queria muito estar com os outros, mas se afasta quando alguém se aproxima. E precisa de ajuda.
 Para aqueles que acham que seus temores andam crescendo quase a ponto de paralisar, é preciso desenvolver a coragem, essa força racional capaz de ultrapassar o medo. "Mas nem sempre vencê-lo mas enfrentá-lo", "A gente não vai sem medo, a gente vai apesar do medo".O medo é uma insegurança ,o medo exagerado é uma  neurose ,só quem é muito egocêntrico se sente perseguido até por Deus, por que se acha tão importante  que o mundo só tem olhos pra ele ainda que seja um artista famoso ele se acha o Centro do Universo  mas o medo é tanto que a pessoa faz de uma formiga uma dragão, o sujeito medroso anda na rua achando que alguém o vigia nem no banheiro a pessoa se sente em paz por que sua cabeça confusa não o deixa viver em paz.Quando alguém se aproxima para ser amigo a pessoa arruma milhares de defeitos para repudiar a pessoa pois isso  gera conflitos e afasta o outro isso é uma forma de auto-sabotagem , pois projeta os fantasmas de experiências traumáticas que não foram trabalhadas e muito menos superadas, portanto é de fundamental importância buscar ajuda psicológica e até mesmo psiquiátrica,pois repudiamos nos outros coisas que são semelhantes em nós e que negamos pois o jeito do outro se comportar incomoda.O medroso geralmente tem medo de pessoas corajosas a ponto de repudiá-las ,mas eu me pergunto o que você fez de tão errado na vida a ponto de achar que os outros vão te machucar?Você é um criminoso?Roubou?Matou?Se não fez nada disso e ainda assim se sente perseguido sinto muito dizer mas precisa de ajuda ou vai sofrer a vida inteira por um medo infundado por uma monstro que criou em sua mente,vai perder amigos,amores por que não cuidou da sua doença.Geralmente esse comportamento é típico do apaixonado ,quanto maior o medo maior a paixão sabia?O medo é uma perturbação  interior é o mal do mundo que puseram na sua cabeça ,o medo é ausência  de amor ,falta de confiança em si e em Deus ,procure se aproximar dessas pessoas a quem teme pois quem sabe ali é  só é um amigo querendo te ajudar ,querendo fazer parte de sua vida , e não um agressor ou um juiz querendo te julgar ,pare de se achar o centro do Universo você não é Deus e ninguém vai perder seu precioso tempo cuidando da vida dos outros não acha?
            Texto feito  dos áudios de O Luiz Casparetto “Medo dos Outros”
Autora: Mari Reis

domingo, 1 de abril de 2012

Dodô toque seu Tambor

Dodô toque seu Tambor
Diz a lenda que Dodô nasceu numa noite de lua cheia
A Lua estava grande e dourada a mãe de Dodô agoniada pediu aos índios pra tocar tambor aí nasceu Dodô uma índia branca de cabelo amarelim da cor do sol
A mãe de Dodô ganhou de presente um buquê de Flor da cor de pêssego essa flor se chama Doriana então a mãe de Dodô pensou ;
_Minha filha vai se chamar Doriana Tamburini a Dodô Tambor
Dodô cresceu foi conhecer outras terras e um belo dia Dodô descobriu seu tambor
E começou a tocar ,se a pessoa tinha dor tava lá Dodô com seu tambor
Toda vez que alguém tava doente alguém pedia ;
_Dodô por favor toque seu tambor?
 Dodô cantava e tocava seu tambor e até hoje  assim é
Quando as coisas não estão bem Dodô pega seu tambor e pede pro Nosso Senhor
Um pouco mais de paciência e  amor pra esse mundo cheio de dor
Assim é Dodô Tambor puro AMOR!

quarta-feira, 21 de março de 2012

Doenças relacionadas às emoções


Realmente podemos ficar doentes devido ao enfraquecimento de nossa aura.
Distúrbios emocionais, insatisfações ou aborrecimentos constantes, e principalmente o pessimismo, a baixa estima, o não amar a si mesmo (a), muito comum e freqüente em certas pessoas, podem enfraquecer nosso campo de proteção áurica, causando-nos diversas doenças.
Praticamente, todos já ouvimos dizer que muitas doenças são causadas por nós mesmos, por situações e conflitos que criamos com nosso comportamento diante da vida, nossa boca, nosso pensamento, nossas ações. Nada pode estar mais perto da verdade.
Abaixo, estão algumas possíveis situações de doenças de nosso corpo físico e que às vezes são causadas pelo enfraquecimento desta nossa proteção natural.
Acidentes: Raiva, frustração e rebelião.
Alergias: Aparecem naquele s que estão sempre nervosos e irritados com as atitudes das outras pessoas com quem convivem. Se você tem alergias procure ser mais calmo e compreensivo com aqueles que o rodeiam.
Anemia: Você é uma pessoa que praticamente não tem nenhuma confiança em si mesma.
Aparelho Respiratório: Pessoas que estão sempre desesperadas, sempre correndo e que gostam de fazer tudo ao mesmo tempo. O resultado disso é que, muitas vezes, elas não terminam nenhum de seus afazeres, ou não fazem nada direito.
Artrite: Perfeccionismo. Pessoa muito crítica com as outras pessoas que a rodeiam, sejam elas amigos, familiares, companheiros de trabalho, etc... Você também é uma pessoa insistente, talvez levando essa insistência longe demais. Às vezes é bom deixar de lado, desistir de alguma situação difícil, caso não esteja recebendo o apoio de que necessita. Persistir em algo muito complicado, sem ajuda de ninguém, pode lhe trazer sérios problemas com os ossos de seu corpo ou então uma artrite.
Asma: Complexo de culpa.
Ataques: Pensamentos negativos, quem não é feliz.
Bexiga: Segurando a dor para si mesmo.
Braços: Emoções antigas.
Bulimia: Ódio de si mesmo, achando não ser bom o suficiente.
Cabeça: O que nós mostramos ao mundo.
Câncer: Ressentimento profundo.
Coluna: Geralmente essas pessoas gostam de fazer tudo sozinhas e depois, acabam sempre reclamando que ninguém dá uma mãozinha.
Coração: Pessoas que não vivem doi amor e da felicidade.
Dedos: Ego, raiva, medo, preocupação, perda, pretenção.
Dentes (cáries dentárias ou gengivites): Talvez quase ninguém saiba, mas os dentes representam a família. Se você é esteio de sua família, a pessoa a quem cabe tomar todas as decisões, arcando com todas as responsabilidades e conseqüências, é muito propensa a ter problemas com seus dentes, ou a desenvolver uma gengivite.
Dor: Culpa, medo de ser punido.
Estômago ( problemas digestivos): Dificuldade de assumir novas idéias e novas experiências.Se você anda comendo muito, talvez seja a única forma que esteja encontrando para estagnar ou conter seus impulsos de criação. Ou então, pode ainda significar que esteja totalmente insatisfeito com sua vida sexual.
Fígado: Pessoa que acumula o sentimento de raiva dentro de si. Procure liberar sua raiva e não guarde rancor de ninguém. Quanto mais raiva guardar, pior será para você.
Frigidez: Medo, culpa sexual
Garganta: Medo de mudanças, dificuldade em falar e frustração.Quando você tiver algum distúrbio nesta região de seu corpo, não pense duas vezes antes de liberar toda sua criatividade, para assim ampliar a proteção de sua aura. Fale, exponha suas idéias, mesmo correndo o risco de não serem aceitas.
Gastrite: Este tipo de sintoma quase sempre se manifesta em pessoas que guardam para si os problemas, são, maioria das vezes, pessoas introvertidas e que demonstram uma falsa calma e tranqüilidade.
Genitais: Rejeição sexual.
Gordura localizada: Para o conceito esotérico, este tipo de gordura, principalmente quando localizada nas coxas, significa que, quando era criança, você não recebeu aquele carinho tão especial e necessário do colo de sua mãe que com o calor de seu corpo transmitia o amor e a segurança que precisava. Inconscientemente, esta carência está registrada em seu íntimo, fazendo-o desenvolver algum tipo de gordura localizada.
Impotência: Medo, inveja do próximo.
Joelho: Inflexibilidade, ego, medo de mudanças, há um excesso de humildade.
Mãos: Pão duro ( não gostam de gastar dinheiro).
Obesidade: Insegurança.
Orelhas: Dificuldade de aceitar o que lhe é dito.
Pele: Pessoas que possuem poder sobre você.
Pernas: Medo de enfrentar as coisas novas do dia a dia.
Pés: Dificuldade em compreender a si próprio. Suas opiniões quase nunca são escutadas ou respeitadas pelas pessoas mais próximas.
Pescoço: Pessoas muito teimosas e inflexíveis. Para estas pessoas, a aura nesta parte do corpo não vai além de alguns centímetros de proteção.
Retenção de Líquidos: Na alquimia, a água representa intuição. Se você tem tendência a reter líquidos em seu organismo, deve ser uma pessoa de intuição muito forte. Não tenha medo e libere suas manifestações intuitivas.
Rins: É exatamente no chackra supra-renal que as mágoas se acumulam, diminuindo muito a proteção do campo áurico dessa região. Não é por acaso que, em uma situação de separação, por exemplo, que geralmente traz consigo muitas mágoas, tristezas e dores, os envolvidos acabam desenvolvendo alguma coisa relacionada a este órgão, como é o caso de um cálculo renal.
Tumor: Feridas antigas, tormento, não se permite a cura.
Úlcera: Medo de não ser bom o suficiente.
Varizes: Geralmente são aquelas pessoas que não aceitam as condições que lhes são impostas, querendo que tudo ocorra sempre ao seu jeito.
Você pode estar se perguntando: ”O que fazer para mudar essa situação?”
Sabendo que uma das possíveis causas de sua doença pode ser algo relacionado ao que foi dito, que tal começar mudando seu comportamento em relação à vida e às pessoas com quem você convive?
ORE . A ORAÇÃO TAMBÉM FUNCIONA COMO MÁGICA E É PRATICAMENTE INFALÍVEL.
Ao se deitar e ao se levantar, ore e agradeça
Faça uma oração bonita.
Converse carinhosamente com Deus.
Seja amável e doce com as pessoas e consigo mesma
Mas não se esqueça de consultar seu médico de confiança.

Causas emocionais das doenças - 2
DOENÇA - se há doença é porque algum aspecto da vida não está fluindo adequadamente. Ela é manifestação de conflitos interiores.
Antes da somatização surgem manifestações emocionais como angústia, depressão, medo etc.
Assim como criamos as doenças, podemos destruí-las. A cura é uma combinação do tratamento físico com o reposicionamento interior.
I - SISTEMA CIRCULATÓRIO
I.1. - Coração - entusiasmo e motivação pessoal.
I.1.1. - Problemas cardíacos em geral - desânimo e desmotivação.
I.1.2. - Angina - firmeza aparente, que esconde amarguras e
sofrimentos. Dos falsos valores, perda da motivação e entusiasmo pela vida.
I.1.3. - Infarto - desmoronamento
I.1.4. - Taquicardia - entusiasmo reprimido.
I.2. - PRESSÃO ARTERIAL - fuga dos conflitos que envolvem a afetividade.
I.2.1. - Pressão Alta - fuga através da preocupação ou
dedicação excessiva aos afazeres.
I.2.2. - Pressão Baixa - fuga pelo esquecimento, desejo de
abandonar tudo.
I.3. - Sangue - expressão da individualidade, fiel representante da alma, que dávida ao corpo.
I.3.1. - Anemia - falta de ânimo e vitalidade.
I.3.2. - Coagulação sanguínea - (in)capacidade de se refazer
mediante as perdas.
I.3.3. - Hemorragia - desrespeito ao ritmo interno, ultrapassando os próprios limites e perdendo-se no que faz.
I.3.4. - Leucemia - ressentimento por não conseguir manter a
integridade na vida.
I.3.5. - Tipos Sanguíneos:
A - pessoas conservadoras, detalhistas, harmoniosas, prestativas, sem pretensõesde liderança.
AB - pessoas colaboradoras, cumpridoras de compromissos,
prestativas.
B - pessoas com autoconhecimento, que sabem o que querem, mas com dificuldades para lidar com os outros.
O - pessoas comunicativas, com capacidade de liderança,
convincentes,determinadas, expressivas
I.4. - Vasos Sanguíneos - senso de direção e limites.
I.4.1. - Aneurisma - negação da própria fragilidade e
limitações, abraçandocausas externas. Alta responsabilidade para se manter no poder e controle dasituação.
I.4.2. - Arteriosclerose - resistência ao novo.
I.4.3 - Flebite - intransigência e irritação diante de obstáculos.
I.4.4. - Trombose - pessimismo e limitação na vida.
I.4.5. - Varizes - estagnação numa situação desagradável,
frustração por não realizar idéias e objetivos. Fazer de tudo, menos o necessário.
II - SISTEMA DIGESTIVO
II.1. - Afta - autopunição por sentir-se despreparado e negar a própria capacidade.
II.2. - Dentes- decisão, vitalidade e força agressiva.
II.2.1. - Canal - índole, senso moral e familiar.
II.2.2. - Cáries - indecisão, perda da solidez interior.
II.3. - Diabetes - depressão, falta de docilidade, pessimismo.
II.3.1. - Hipoclicemia - ansiedade, resgate do tempo perdido.
II.4. - Digestão - elaboração e aceitação dos acontecimentos.
II.5. - Esôfago - realismo.
II.5.1.- Esofagite - constante irritação.
II.5.2. - Hérnia de hiato - sentimento de culpa.
II.6. - Estômago - processador das emoções básicas.
II.7. - Estomatite - sentimento de invasão e incapacidade de
sustentar o próprio ponto de vista.
II.8. - Faringe - aceitação dos fatos triviais.
II.8.1. - Faringite - irritação por não saber lidar com
episódios desagradáveis.
II.9. - Fígado - órgão da mudança, força agressiva.
II.9.1. - Cirrose - autodestruição.
II.9.2. - Hepatite - resistência ao novo, gerando bloqueios.
II.10. - Glândulas Salivares - sentimento de segurança.
II.10.1. - Caxumba - sentimento de impotência.
II.10.2.- Síndrome de Sjogren (SS) - revolta e indisposição
em absorver os episódios da vida.
II.11. - Hemorroídas - apego às mágoas do passado.
II.12. - Intestino Delgado - absorção e aproveitamento das
experiências de vida. Capacidade de entendimento.
II.12.1. - Diarréia - súbito desapego, sem elaborar a
experiência.
II.13. - Intestino Grosso - expressão dos mais profundos
sentimentos . Doação egenerosidade.
II.13.1 - Intestino preso - recusa na exteriorização dos
sentimentos.
II.13.2. - Prisão de ventre - meticulosidade, atrapalhar-se
com detalhes, contenção da espontaneidade.
II.14. - Língua - prazer e articulação da expressão.
II.15 - Mau Hálito - desejo inconsciente de distanciar as
pessoas.
II.16. - Maxilar - dosagem da força agressiva
II.16.1. - Gengiva - firmeza nas decisões.
II.16.2. - Gengivite - frustração por não conseguir sustentar
decisões.
II.17. - Náusea e Vômito - resistência e recusa a situações.
II.18 - Pâncreas - abrir-se para a vida e as pessoas,
extraindo o melhor da situação. Alegria e descontração em viver.
II.18.1. - Depressão no Pâncreas - quadro psicológico que
acompanha as principais doenças pancreáticas.
II.18.2. - Pancreatite - amargura, frustração e raiva.
II.19. - Suco Gástrico - resposta mental às situações da vida.
II.19.1. - Gastrite - atividade mental proporcionalmente
maior que os fatos.
II.19.2. - Úlcera - não se permite falhar nem compartilha os
problemas.Agressividade sufocada.
II.20. - Vesícula Biliar - sentir-se em condições de
enfrentar os grandes obstáculos da vida.
III - SISTEMA REPRODUTOR
III.1. - SISTEMA REPRODUTOR FEMININO
III.1.1. - Frigidez - bloqueios que impedem a entrega no ato
sexual.
III.1.2. - Mamas - feminilidade e afetividade, capacidade de
entrega e doação.
III.1.2.1. - Amamentação - capacidade de doação.
III.1.2.2. - Coceira - insatisfação com a dedicação ou a
forma como é tratada pelos outros.
III.1.2.3. - Flacidez - falta de sustentação interior, perda da autoconfiança.
III.1.2.4. - Mastite - conflitos durante a dedicação.
III.1.2.5. - Nódulos - bloqueios afetivos.
III.1.3. - Menstruação - renovação, desprendimento e
aceitação da feminilidade.
III.1.3.1. - Amenorréia - regressão na maturidade feminina,
apego a situações ou pessoas que foram marcantes.
III.1.3.2. - Menopausa - maturidade emocional.
III.1.3.3. - Outros problemas - rejeição da própria feminilidade, dificuldade em lidar com mudanças.
III.1.4. - Ovários - criatividade feminina
III.1.4.1. - Cistos - criatividade sufocada, culpa pelas
idéias que deram errado.
III.1.4.2. - Ovário policístico - confusão mental, dificuldade em expor idéias.
III.1.5. - Tubas Uterinas - elaboração das idéias, forma como
se expressa a criatividade.
III.1.5.1. - Infertilidade/esterilidade - sentir-se incapaz de
sustentar uma situação (igual para os homens)
III.1.5.2. - Laqueadura - influência negativa na elaboração
das idéias.
III.1.6. - Útero - natureza feminina, originalidade e espontaneidade.
III.1.6.1. - Miomas e Fibromas - deixar-se moldar pelo
externo, não preservarsua natureza íntima.
III.1.7. - Vagina - prazer na vida e no sexo.
III.1.7.1. - Coceira - expectativas frustradas em relação ao
prazer ou ao parceiro.
III.1.7.2. - Corrimento - profundos ferimentos afetivos ou
sexuais.
III.1.7.3. - Ressecamento - despreparo para o prazer.
III.1.7.4. - Vaginismo - falta de soltura e entrega ao prazer.
III.2 - SISTEMA REPRODUTOR MASCULINO
III.2.1. - Pênis - prazer masculino, capacidade de concretizar os objetivos da vida.
III.2.1.1. - Disfunção erétil - autodepreciação, inferioridade e
fracasso navida.
III.2.2. - Próstata - caráter masculino.
III.2.2.1. - deixar de ser original e perder o caráter.
III.2.3. - Testículos - criatividade masculina.
IV - SISTEMA RESPIRATÓRIO
IV.1. - Brônquios - relação entre os mundos interno e externo, interação harmoniosa com o ambiente.
IV.1.1. - Asma brônquica - sentimento de inferioridade
disfarçado pelo desejo de poder e controle do ambiente.
IV.1.2. - Bronquite - dificuldade de relacionar-se com o ambiente. Incapacidade de expressar sentimento de agressão. Necessidade de chamar atenção, isolar-se ou fazer chantagem.
IV.2. - Fossas Nasais - primeiro contato entre o externo e o
interno, habilidade para lidar com os palpites e sugestões dos outros.
IV.2.1. - Gripe ou resfriado - confusão interior, despreparo
para lidar com mudanças, falta de confiança no novo.
IV.2.2. - Rinite - abalar-se pelas confusões do ambiente, não
se permitir errar, adotar comportamento exemplar.
IV.2.3. - Sinusite - profunda irritação com alguém bem próximo, decepção provocada pelas expectativas.
IV.3. - FENÔMENOS RESPIRATÓRIOS
IV.3.1. - Bocejo - mobilização orgânica para refazer-se do
desgaste físico ou da perda energética, desprendimento da negatividade agregada.
IV.3.2. - Espirro - impulso de defesa contra idéias ou energias
negativas.
IV.3.3. - Ronco - teimosia, rigidez de idéias.
IV.3.4. - Soluço - ansiedade e medo do desfecho de uma
situação.
IV.3.5. - Tosse - regressão dos impulsos agressivos e desejo
de atacar.
IV.4. Laringe - seleção e discernimento entre idéias e fatos.
IV.4.1. - Calos nas Cordas Vocais - revolta e aspereza na forma de falar.
IV.4.2. - Disfunções da Fala - contenção dos impulsos.
IV.4.3. - Engasgo - ser surpreendido por coisas que vêm
atravessadas.
IV.4.4. - Gagueira - incapacidade de falar por si, tolher-se
na expressão.
IV.4.5 - Laringite - irritação por não conseguir manter sua
força de expressão, frustração por não falar o que pensa.
IV.4.6. - Voz - via de expressão do ser.
IV.5. - Pulmões - órgãos de contato e relacionamento com a
vida e o ambiente.
IV.5.1. - Edema - apego emocional seguido de desmotivação e
perda da vontade de viver.
IV.5.2. - Enfisema - medo e negação da vida, dificuldade em
encarar os obstáculos.
IV.5.3. - Pneumonia - cansaço da vida, irritação por se doar
muito aos outros sem retorno.
IV.5.4. - Tuberculose - crueldade e desejo de vingança
sufocado.
V - SISTEMA URINÁRIO
V. 1. Bexiga - necessidade de aliviar tensões emocionais e
psicológicas.
V.1.1. - Cistite - irritação com o parceiro ou com as intrigas no
lar, traumas sexuais ou culpa pelas atitudes incorretas de alguém querido.
V.1.2. - Enurese noturna - emoções reprimidas, tensões e
medos liberados durante o sono.
V.1.3. - Incontinência Urinária - medo de perder o controle
emocional em situações afetivas.
V.1.4. - Uretrite - sentir-se irritado e chateado com as situações ao redor.

V.1.5. - Outros Problemas na Bexiga -
apego a situações do
passado, frustração evitimismo.
V.2. - Rins - correspondem ao âmbito da parceria: capacidade
de amar e de se relacionar.
V.2.1. - Cálculos renais - apego às complicações afetivas.
Cultivar mágoas e cultivar excessivamente os entes queridos.
V.2.2. - Cólica renal - apego a quem ama, não admitir nenhum
tipo de ruptura no relacionamento.
V.2.3. - Outros Problemas Renais - dificuldades nos
relacionamentos

quinta-feira, 8 de março de 2012

Meu Nome é Mulher

Por que metade de mim é uma menina que brinca de balanço mesmo de salto alto
A outra metade é seriedade,mulher metade meniniçe metade maturidade
Brinco de boneca enquanto piloto um avião
Vou a Marte enquanto me visto de enfermeira no hospital ,também sou médica enquanto projeto arranhaceus,vou aos tribunais tenho vário papeis
Sou Mãe quando com amor preparo uma bela refeição para servir aos meus.
Choro quando um filhote sai do ninho e me alegro com sua felicidade ,sou presidente,sou artista,poetiza ,senhora do meu Destino o meu é nome é MULHER!
 
 Mari reis

quarta-feira, 7 de março de 2012

Uma Singela Homenagem ao Dia Internacional da Mulher!


Maria, Maria
Maria, Maria
É um dom, uma certa magia
Uma força que nos alerta
Uma mulher que merece
Viver e amar
Como outra qualquer
Do planeta
Maria, Maria
É o som, é a cor, é o suor
É a dose mais forte e lenta
De uma gente que rí
Quando deve chorar
E não vive, apenas aguenta
Mas é preciso ter força
É preciso ter raça
É preciso ter gana sempre
Quem traz no corpo a marca
Maria, Maria
Mistura a dor e a alegria
Mas é preciso ter manha
É preciso ter graça
É preciso ter sonho sempre
Quem traz na pele essa marca
Possui a estranha mania
De ter fé na vida....
Mas é preciso ter força
É preciso ter raça
É preciso ter gana sempre
Quem traz no corpo a marca
Maria, Maria
Mistura a dor e a alegria...
Mas é preciso ter manha
É preciso ter graça
É preciso ter sonho sempre
Quem traz na pele essa marca
Possui a estranha mania
De ter fé na vida....
Ah! Hei! Ah! Hei! Ah! Hei!
Ah! Hei! Ah! Hei! Ah! Hei!!
Lá Lá Lá Lerererê Lerererê
Lá Lá Lá Lerererê Lerererê
Hei! Hei! Hei! Hei!
Ah! Hei! Ah! Hei! Ah! Hei!
Ah! Hei! Ah! Hei! Ah! Hei!
Lá Lá Lá Lerererê Lerererê!
Lá Lá Lá Lerererê Lerererê!...
Mas é preciso ter força
É preciso ter raça
É preciso ter gana sempre
Quem traz no corpo a marca
Maria, Maria
Mistura a dor e a alegria...
Mas é preciso ter manha
É preciso ter graça
É preciso ter sonho, sempre
Quem traz na pele essa marca
Possui a estranha mania
De ter fé na vida

Ah! Hei! Ah! Hei! Ah! Hei!
Ah! Hei! Ah! Hei! Ah! Hei!!
Lá Lá Lá Lerererê Lerererê

domingo, 4 de março de 2012

A Cigarra e a Fomiga com um novo final!


 
Há inúmeras versões desta fábula. Monteiro Lobato, precursor da História Infantil no Brasil, em seu livro Fábulas, introduziu a fábula da formiga boa, pois a outra é uma avarenta e invejosa.. Na sua versão ele finaliza dizendo: "OS ARTISTAS - POETAS, PINTORES, MÚSICOS - SÃO AS CIGARRAS DA HUMANIDADE".
A versão em vídeo é outra releitura, que acompanha o sentimento de solidariedade, que contraria as versões conservadoras em que a formiga se morde de inveja e é avarenta:
Era uma vez uma cigarra que vivia saltitando e cantando pelo bosque, sem se preocupar com o futuro. Esbarrando numa formiguinha, que carregava uma folha pesada, perguntou:
- Ei, formiguinha, para que todo esse trabalho? O verão é para gente aproveitar! O verão é para gente se divertir!
- Não, não, não! Nós, formigas, não temos tempo para diversão. É preciso trabalhar agora para guardar comida para o inverno.
Durante o verão, a cigarra continuou se divertindo e passeando por todo o bosque. Quando tinha fome, era só pegar uma folha e comer.
Um belo dia, passou de novo perto da formiguinha carregando outra pesada folha.
A cigarra então aconselhou:
- Deixa esse trabalho para as outras! Vamos nos divertir. Vamos, formiguinha, vamos cantar! Vamos dançar!
A formiguinha gostou da sugestão. Ela resolveu ver a vida que a cigarra levava e ficou encantada. Resolveu viver também como sua amiga.
Mas, no dia seguinte, apareceu a rainha do formigueiro e, ao vê-la se divertindo, olhou feio para ela e ordenou que voltasse ao trabalho. Tinha terminado a vidinha boa.
A rainha das formigas falou então para a cigarra:
- Se não mudar de vida, no inverno você há de se arrepender, cigarra! Vai passar fome e frio.
A cigarra nem ligou, fez uma reverência para rainha e comentou:
- Hum!! O inverno ainda está longe, querida!
Para cigarra, o que importava era aproveitar a vida, e aproveitar o hoje, sem pensar no amanhã. Para que construir um abrigo? Para que armazenar alimento? Pura perda de tempo.
Certo dia o inverno chegou, e a cigarra começou a tiritar de frio. Sentia seu corpo gelado e não tinha o que comer. Desesperada, foi bater na casa da formiga.
Abrindo a porta, a formiga viu na sua frente a cigarra quase morta de frio.
Puxou-a para dentro, agasalhou-a e deu-lhe uma sopa bem quente e deliciosa.
Naquela hora, apareceu a rainha das formigas que disse à cigarra: - No mundo das formigas, todos trabalham e se você quiser ficar conosco, cumpra o seu dever: toque e cante para nós.
Para cigarra e para as formigas, aquele foi o inverno mais feliz das suas vidas.
"A FORMIGA SÓ TRABALHA PORQUE NÃO SABE CANTAR" (RAUL SEIXAS)

sábado, 25 de fevereiro de 2012


 

REIKI RELÂMPAGO, O REIKI DA KWAN YIN



Como é bom fazer tudo direito! Voltei a dar ouvidos aos meus anseios e retomei, com um grupo que trabalhei durante 3 meses, as propriedades dos corpos, chacras e glândulas, os 12 Raios da Fraternidade Branca e Solar, todas as questões que sempre quis colocar no Reiki sugerido pela mãe Kwan Yin e pelo Dalai Lama.

Foi uma tarde plena de contentamento, pois Ricardo, meu amigo e desenhista, retratou os mestres e mestras guias de Reiki com seus símbolos pessoais e a iniciação foi muito especial.
Agradeço de coração à Angela Keramidas, uma vez que eu tinha vontade de refazer a apostila e ela pode me ajudar. Este Reiki causa impacto por ter tratamento e preparo anterior para aplicação dos símbolos que se apresentarão à Iniciação.

O ritual é cumprido de acordo com o que o mestre Mikao Usui ensinou, o ritual da água com limão. Normalmente são necessários os acompanhamentos com banhos de ervas e florais e assistência por mais duas etapas (ou quando se fizer necessário).
Tenho certeza que neste trabalho, pela evolução do grupo iniciado anteriormente na fraternidade dos 12 raios, teremos surpresas e desenvolvimento contínuo.
Gratíssima, querida Kwan Yin, por termos alcançado mais uma etapa juntas. Grata, Dalai Lama, pelo chamado!!!

www.livestream.com HARMONIA COSMICA on Livestream. Programa com Doriana Tamburini para Espiritualistas e Terapeutas que tem conexão com a Grande Fraternidade Branca, os 12 Raios,Comando Ashtar Sheran e tantas histórias para compartilhar! -Todas as sextas apartir de 20:30hs

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Gasparetto e você

 

Repita sempre: "Eu sou mais eu!"

Perca o medo da opinião dos outros. Ao reforçar sua autoconfiança, você expulsa as dores e abre espaço para ser mais feliz.

  Quero convidá-lo(a) para uma viagem interior que vai reforçar sua autoconfiança e, sobretudo, garantir a dignidade do seu espírito. Procure um local tranqüilo e, se possível, grave o texto que vou dizer a seguir e ouça-o com uma música relaxante ao fundo: Vamos começar deixando de lado todas as pessoas que, na trajetória da sua vida, você sempre colocou em primeiro lugar. Marido, filhos, pais, amigos, parentes e colegas de trabalho. Deixe cada um deles no seu devido lugar, ou seja, neles mesmos. Seu marido está dentro dele; seus filhos estão dentro deles; e assim por diante.

Olhe para todas essas pessoas à sua volta e diga: Vocês são vocês. Não tenho medo de vocês. Eu não sou vocês. Sinta seu corpo inteiro ao dizer essas palavras. Agora repita comigo novamente: Eu não sou os outros. Eu sou eu. Sou um ser indivisível e tenho força de apoio para dar a mim mesmo. Eu tenho poder de escolha para optar por mim. Eu tenho boa vontade para comigo. Eu tenho olhos para me ver com bons olhos. Eu tenho meus cinco sentidos em perfeita harmonia para escolher o que me dá mais prazer, o que me põe pra frente. Tenho liberdade de não querer isso ou aquilo. Tenho liberdade de jogar fora o que não me serve mais, de jogar fora o que não se encaixa na minha natureza e na minha individualidade. Que prazer eu sinto ao ser diferente! Todos são diferentes uns dos outros e eu também sou assim. Então assumo que sou diferente com naturalidade.

Nesse instante, estou deixando para trás uma camada de energia que me envolvia, de negação a mim mesma. Não! Eu não me escondo mais. Não tenho vergonha dos meus sentimentos e muito menos das minhas verdades. Tenho coragem de abrir a boca e dizer o que eu sinto, o que estou percebendo, o que estou querendo, o que estou achando. A fofoca, a traição, a conspiração, nada disso é capaz de me atingir por uma razão muito simples: eu estou do meu próprio lado. E mais: o universo me protege, porque ele também está do meu lado. Toda a ignorância do mundo ficou para trás. E essa mania que algumas pessoas têm de usar as outras em benefício próprio não me atinge mais. Aquele que tentar me usar sentirá um retorno forte dessa energia negativa na sua vida, porque voltará tudo pra ele.

Não, eu não quero pensar nos meus sentimentos antigos nem em como eu era. Porque agora eu devo lealdade a minha própria natureza. Agora eu me aconchego com firmeza e sinto prazer em estar comigo. Agora descanso em saber que não me machuco mais por motivos alheios. Eu descanso em saber que não me nego, não me rejeito, não me critico.

Descanso em saber que eu me amo, me respeito e me gosto. Eu me abraço nesse instante e, com o peito cheio de bem-querer (aproveite e dê-se um abraço apertado agora), penso que tenho o maior respeito por tudo o que já fiz, de certo e errado. Porque os erros me ensinam, eu os abençôo. O bem que eu aprendi até agora, o bem que eu já fiz e que continuo fazendo, movida por essa ou aquela razão, não importa mais. Ele é sempre o bem.

Hoje estou feliz porque estou podendo confraternizar comigo. Eu estou relaxando comigo mesma. Hoje eu estou me aceitando e me assumindo bem mais do que ontem, sabendo que posso, sim, precisar de ajuda para continuar. Mas essa ajuda é minha mesma. Eu quero fazer tudo o que posso por mim mesma, porque nasce em mim agora o meu próprio valor. Eu me dou valor. Agora nasce em mim o eu a meu favor. Onde sai a dor, é onde nasce o amor.
                                          Luiz A Gasparetto!

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012


Os Chakras e o Pai Nosso   Para que esta energia de alta freqüência possa ser percebida pela materialidade humana, tem que ser rebaixada — Como se faz com a energia elétrica de alta voltagem, que deve ser transformada (por um transformador) — para que possamos utilizá-la.

A oração do Pai Nosso é uma interessante seqüência de afirmações e petições, que se inicia num nível vibratório de alta freqüência, altamente mística, e vai decrescendo até freqüências mais baixas, puramente éticas.
A oração do Pai Nosso é como um caminho, porque passa a energia dentro de um transformador. O transformador, no caso, é o corpo, com seus diversos níveis de troca de energia.

As trocas de energia no corpo fazem-se através de plexos nervosos, com ritmos vibratórios distintos, que se distribuem pelo corpo em locais denominados “chacras”.
A energia divina é chamada, pela invocação de Deus. Entra pelo alto da cabeça, e vai sendo progressivamente transformada, a cada chacra que passa, até atingir o nível vibratório do chacra básico (genital), onde se encontra nossa materialidade.
Traz, desta forma, Deus até nós!

Vamos acompanhar, passo a passo, essa transmutação da energia divina, para que tenhamos uma compreensão da grandeza desta oração que Jesus nos deixou.

Chakra Coronário — Chamado da energia

Pai nosso que estás nos céus.

Esta primeira afirmação consiste na chamada da energia do Alto, na entrada desta energia pelo alto da cabeça, através do plexo coronário, que, segundo os orientais, tem mil pétalas e gira com incrível velocidade.

Pai!

A prece se inicia com a chamada: — Pai! Esta simples afirmação, identificando Deus como Pai, é de um extraordinário alcance. Ao chamarmos Deus de Pai, estamos nos identificando como Seus Filhos. Como Filhos, temos a potencialidade do Pai em nós. Nos identificamos com Deus em um nível energético extremamente elevado.
Neste momento captamos a energia do alto!

Nosso

Quando dizemos “Nosso”, entendemo-nos como Irmãos de todos os seres. O Pai é Nosso; não é só meu, porque somos todos Irmãos.

Esta conceituação amplia a anterior. A energia contida nesta afirmação – Pai Nosso! – é possível explicar, mas é impossível a um ser humano comum sentir esta afirmação com total percepção de amor. A emoção contida na total compreensão desta afirmação, seria de tal magnitude, que destruiria o sistema nervoso de um homem comum.

A grande mística, Santa Terezinha, não conseguia dizer a oração do Pai Nosso: quando iniciava a oração, perdia os sentidos. Santa Terezinha, nesse momento, tinha percepção e consciência desta energia de altíssima freqüência. Freqüência que o organismo humano não tem estrutura para suportar.

Que estais nos céus

Deus que está em toda parte, que impregna tudo, que É! Este é o conceito que Deus transmitiu a Moisés, quando este perguntou-lhe quem Ele era. A resposta foi:
- “Sou aquele que É!”

Nesta primeira afirmação da oração, temos a identificação de Deus, e a chamada do “Nome de Deus”.
“Aquele que É”! Jafé! Jeová ! Iod-Hé-Vau-Hé!
Nome que a boca humana não é capaz de pronunciar!

Explicar tais conceitos é possível; senti-los, entretanto, é totalmente impossível ao ser humano normal. Como se pode ver por este início, o que está escrito nos evangelhos transcende em muito a aparente simplicidade das palavras. A grandeza do Evangelho não está na letra morta, mas no espirito de quem o lê.
O Evangelho é vivo!

Chakra Frontal

Santificado seja o vosso nome.

Entender esta petição, temos que antes entender o que quer dizer “santificado”.
Santificado – “Que seja considerado Santo”.
Santo envolve o conceito de perfeição e de universalidade

Nome – O nome não é como imaginamos, uma palavra que designa alguma coisa.
Nome é a vocalização ou a materialização de um ser ou objeto.
O Nome de Deus é impronunciável!
Segundo os judeus, esse Nome só era pronunciado em determinado dia, no âmago do Santuário do Templo, pelo Supremo Sacerdote. O nome é a excelência do ser ou do objeto.

O Nome de Deus é a essência de Deus – é o próprio Deus!
Nesta petição mística, pedimos que Deus seja aceito por tudo e por todos, como a perfeita harmonia universal (Santo). Como sendo “Aquele que É”!
Que Deus seja a harmonia total, e que tudo e todos sejam o seu reino!

Aqui está expresso o conceito maior da unidade. Tudo e todos são Um! Este conceito não pode ser percebido pelos nossos sentidos.
Com esta petição mobilizamos a energia pela passagem no Chacra Frontal. A energia transformada, neste ponto, já permite uma certa compreensão, que muito se aproxima de uma inspiração, e que pode ser percebida através da região frontal ou do “terceiro olho”.

Chakra Laríngeo

Venha a nós o vosso reino

Na petição anterior pudemos ter uma pequena inspiração do que seja o “Reino de Deus”. Nesta segunda petição mística, pedimos que este “reino”, esta harmonia de todos e de tudo, venha a até nós.

O reino de Deus manifesta-se através do Verbo! “No inicio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus” (João 1, 1).
O Verbo, o Logos, o Cristo, se manifestam pela palavra. Através da palavra é que podemos materializar a energia que vem de outros níveis.

Sabe-se hoje que o som é a energia vibratória que mais próximo se encontra da matéria. Com facilidade materializamos um som, fazendo vibrar a limalha de ferro em um placa, formando figuras.

O som e o Verbo manifestam-se através do Chacra Laríngeo, onde encontra-se nossa capacidade de expressão pela palavra.
O modo do Reino vir até nós é através do nosso Chacra Laríngeo. A conceituação expressa nesta terceira afirmativa movimenta o Chacra Laríngeo, pela passagem da energia divina por ele.

Na simbologia da Torre de Babel, podemos observar que a perda do reino (harmonia entre os homens), deu-se pela perda da possibilidade de expressão pelo homem. A perdição do homem foi pela perda da palavra, em conseqüência de sua presunção.
Notamos que, a cada descida da energia divina, fica-nos mais acessível o entendimento.

Chakra Cardíaco

Seja feita vossa vontade assim na terra como nos céus.

Claro que a vontade de Deus se fará sempre em todos os lugares! Independendo da nossa vontade e das nossas rogativas. Nossa vontade não é oriunda da mente racional, como muito pretensiosamente julgamos. A vontade é um impulso que parte de dentro do coração, que a mente transforma e adapta às suas necessidades.

Vemos no Evangelho que muitas vezes Jesus afirma este conceito – “Porque pensais assim em vossos corações”.
Que nossos corações aceitem e entendam a “Vontade de Deus”! Esta é a síntese da quarta petição.
Neste ponto a energia é transformada pela passagem pelo plexo do Chacra Cardíaco.

A petição é de que nosso coração tenha o entendimento desta Vontade. Que esta vontade seja aceita tanto em cima como embaixo (na terra como nos céus).
A afirmação adquire aqui uma conotação interessante. O Chacra Cardíaco é o chacra que fica no meio do corpo.
A figura de céu e terra, colocada neste ponto da oração, é de uma clareza e de uma beleza poéticas.

Podemos ver que a cada descida da energia, fica mais compreensível o entendimento, e mais clara a correlação com os plexos energéticos (chacras) do corpo humano.
Neste ponto encerram-se as 3 petições que são de conteúdos místicos, passando-se às 4 seguintes que são de conteúdo ético.

Chakra Umbilical

O pão nosso de cada dia dai-nos hoje.

As petições éticas são de mais fácil entendimento. A energia já se encontra em níveis vibratórios próximos à nossa consciência.
De uma forma poética, o pão está representando todas as nossas necessidades de sobrevivência neste mundo. Difícil achar forma mais clara de expressar tal abrangência.

“O pão nosso de cada dia dai-nos hoje” – não o pão do dia de amanhã: somente o de cada dia, a seu tempo.
Esta petição envolve não só a satisfação de nossas necessidades materiais, como também as psicológicas, pedindo que tenhamos confiança e fé de que o pão de amanhã será servido a seu tempo. Que não tenhamos ambição e ganância para acumular tesouros terrenos, que as traças e a ferrugem destróem.
A primeira petição ética é claramente a ativação do Plexo Solar, Umbilical ou do Estômago, que é representado pelo Chacra Umbilical.

Chakra Esplênico

Perdoa as nossas dividas, assim como nós perdoamos os nossos devedores.

Esta petição, que de inicio parece mística, é uma forte petição ética, como vamos ver a seguir. Nas nossas dívidas estão as nossas culpas. Quando temos culpa, ficamos vinculados a essa culpa de uma maneira quase física.

A culpa nos prende pela emoção. A emoção é diferente do sentimento; é acompanhada de manifestações físicas (calafrios, rubores, suores, arrepios). As emoções são percebidas através do abdome. Os vínculos obsessivos com entidades espirituais fazem-se através do Plexo Esplênico.

Como é possível perdoar nossas culpas? Seria injusto Deus perdoar uns e não perdoar outros. Não é Deus que perdoa nossas culpas, somos nós mesmos! Perdoamos na medida em que nos tornamos capazes de perdoar os nossos devedores. Quando conseguimos perdoar nossos devedores, desfazemos esse vínculo esplênico da culpa.
Perdoar os nossos devedores não é uma atitude mística, e sim ética.

Perdoar, ou não, os nossos devedores, é mais importante para nós do que para o devedor. Perdoar é uma atitude lógica, racional, e do interesse de cada um. Na medida em que perdoamos é que somos perdoados. Por mais que sejamos perdoado, só estaremos perdoados, quando nós mesmo nos perdoarmos!
Esta segunda petição ética é colocada de uma forma impressionante sobre o Plexo Esplênico, orientando a forma com que a energia tramita por este chacra.

Chakra Sacro

Não nos deixeis cair em tentação.

Esta petição tem características muito interessantes. Não se pede aqui para que não existam tentações. Também não se pede que não sejamos submetidos às tentações. Que existam! Que sejamos tentados! Que tenhamos força para não cairmos nelas!

Não podemos evitar as tentações da matéria, porque vivemos nela. Viver na matéria é a principal finalidade de nossa existência neste “eon”. Não podemos pedir que nos liberte do mundo! Pedimos que não fiquemos presos às tentações do mundo. Que saibamos viver no mundo sem ficarmos presos às coisas terrenas.

Com esta terceira petição ética chegamos com a energia divina até nossa materialidade terrena.
Nossos plexos Sacro e Genital (básico) são a parte do nosso corpo que nos põe em contato com o mundo material.
Neste ponto, temos mais uma interessante colocação desta prece, quando separa o chacra sacro do chacra básico. Há entre os estudiosos dos chacras aqueles que os consideram como um único chacra. Provavelmente com a intenção de que o número dos chacras sejam sete. Na prece, os chacras sacro e básico aparecem separados de uma forma bastante sutil, o que dá margem a interpretar os chacras como sete ou oito. A ultima petição pode parecer incluída nesta.

Chakra Básico

Livrai-nos do mal.

Esta ultima petição ética é de difícil interpretação. Ficou claro na petição anterior, que a tentação não é o mal.
O que seria este mal? Poder-se-ia entender o mal como sendo o caminho da satisfação dos sentidos, o mergulho do homem na sua materialidade. Sendo este caminho uma opção de fé e de vida. Alegam alguns magos negros que esta seria um opção divina. Já foi o próprio Deus que nos colocou os sentidos e nos proporcionou o prazer em satisfazê-los.

A doutrina de Jesus é clara em mostrar que é mesmo necessário que tenhamos nossos sentidos satisfeitos, até o momento em que tenhamos chegado ao fim do poço da jornada da satisfação destes sentidos. Para então reiniciarmos o caminho de volta a Deus. Como bem está demonstrado na parábola doFilho Pródigo.

O homem é sem duvida muito mais que a sua materialidade. A plena satisfação da materialidade não conduz o homem á felicidade. Este fato está sendo demonstrado de modo prático e claro, neste fim de ciclo pelo qual estamos passando. O homem vem tendo todas as suas necessidades satisfeitas pelo progresso da ciência e da tecnologia, sem que isto o torne mais feliz. Esta interpretação não faz sentido, não só nesta prece, como também não se sustenta por si mesma.

O verdadeiro mal também não consiste em se ser mau. A grande maioria dos que são maus, o são por defesa, por medo, ou por ignorância. “Deus faz nascer o sol todas as manhãs igualmente para os bons e para os maus”. Não se pode aceitar que exista um mal organizado, que se contraponha ao bem e à harmonia de Deus. Desta forma estaríamos aceitando um Deus que não seria onipotente. Não há dualidade entre bem e mal.
Fazer o mal gera uma reação externa, que se volta contra o próprio homem, criando agressões dos outros homens ou do meio.

Quanto mais adiantado o homem, fazer o mal gera uma desarmonia interna que o faz sofrer. O homem está no mundo para evoluir e crescer, na compreensão deste ciclo evolutivo. Sendo mau, vai de alguma forma movimentar forças que se voltarão contra ele, não com o intuito de puni-lo, mas de educá-lo na compreensão deste ciclo evolutivo. Desta forma, vemos que ser mau não é o verdadeiro mal.

Estas observações levam-nos a admitir que o verdadeiro mal está na inércia do homem.
O mal está em ser morno, não ser frio nem quente. O mal está em não usar os “talentos” com que fomos brindados.
O mal está em ficar parado! – Conforme foi dito pelo próprio Jesus.
Com esta ultima petição, se encerra esta maravilhosa oração.
A energia divina foi trazida até nós, rebaixada gradualmente através dos nossos vórtices de energia (chacras), vindo finalmente nos dar um impulso de vida. Impulso para que sigamos adiante!
Para que andemos!
Para que vivamos!
Por que vivendo, bem ou mal, certo ou errado, inevitavelmente estaremos cumprindo a Vontade de Deus que está em nós!
Amém!

Fonte: phenix nagual
Léa Cristina Ximene